[ editar artigo]

Sopro de Luz

Sopro de Luz

Ao apagar a vela com um sopro, você elimina a luz gerada pela chama. Mas às vezes o ato de soprar representa na verdade a chegada da luz. Quando você sopra gratidão aos quatro ventos, abre passagem para receber a luz que o universo precisa que você emita de volta. Quando sopra à boca de alguém que não pode respirar, você compartilha com ele a energia vital que dá significado a sua existência. Ou seja, você doa um pouco do seu fôlego a quem precisa recuperar o próprio ar.

Você se torna responsável por disseminar luz e atrair luz. Luz essa que não podemos deixar que se apague. Por isso, devemos soprar ao mundo que não somos trevas. Ou que não queremos prolongar a escuridão.

Por que o "sopro no coração" deve ser necessariamente associado a algo ruim? Ao agir sobre nós, o Espírito Santo sopra as boas novas da esperança. Queima dentro do nosso peito o fogo abrasador da vitória. Faz derreter a cera que às vezes reveste e endurece nosso coração. Ainda que o pavio seja curto, a chama pode se manter acesa. O que faz com que ela se apague é o movimento em falso. Uma ilusão de posse ou de controle. Por mais que tenhamos a luz em nossas mãos, devemos segurá-la firme para que ventania nenhuma a faça trepidar. Ou se apagar de vez. 

Que sejamos mais do que a vela de aniversário que deixa de iluminar após realizar um pedido. Que sejamos aquelas velas que podem até se apagar momentaneamente, mas que tem forças para acender de volta. Que possamos ser vela na vida das pessoas. Mas sem queimá-las.

Sejamos luz! Sejamos sopro de vida aos corações alheios! 

"A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia o meu caminho. (Salmos 119:105)

CPlay
Rafaella Ventura
Rafaella Ventura Seguir

Escritora, sonhadora e uma eterna aprendiz. Deus é a minha fortaleza. Ele me capacita; e nos meus textos, faz-me depositar todo o meu ser.

Ler conteúdo completo
Indicados para você