[ editar artigo]

Panelas

Panelas

 

Quando a gente consegue encarar nossos dias como sendo uma grande lição do Criador para um aprendizado contínuo muita coisa começa a fazer sentido em nossa vida.

Outro dia enquanto lavava uma panela me peguei refletindo sobre uma mancha que havia nela há tempos. Por um tempo essa mancha não me incomodava, lavava a panela, via nela esse “problema”, mas como sabia que ela estava limpa a mancha não incomodava.  Até que um dia uma pessoa de fora da nossa casa observou a mancha e quis ajudar na retirada da mesma.

O que até então não me incomodava começou a incomodar e muito. Primeiro porque me senti invadida (Se não me incomoda e eu sou a dona, porque incomoda alguém que não a pertence?) e segundo porque me frustrou (Poxa vida, que bela dona de casa eu sou, incapaz de retirar uma manchinha de minha panela). 

Começava ali uma luta, travada somente por mim e minhas misérias.

Cada vez que eu a utilizava brotava em mim o desejo de conseguir vence-la. Utilizava de vários recursos (Bombril, produtos químicos específicos) e nada... Ela resistia bravamente. Terminava nossa luta frustrada, vencida por ela. Foram muitos nossos momentos. 

Até que um dia... Um dia cheio (Casa precisando ser arrumada com urgência, crianças com nervos a flor da pele, almoço para fazer, uma pia cheia de vasilhas para lavar, demandas do trabalho para resolver, eu com paciência no negativo) após “resolver” tudo o que estava pendente, consigo parar por um tempo em frente à televisão e assistir alguma coisa. Ufa!!! Mas eu só não havia percebido que tinha passado pelo meu desafio sem dar conta dele.

Dias passaram e tive que utilizar a panela da mancha. Sim, era exatamente assim que eu a denominava. Tirei-a do armário já preparada para a luta. Confesso que já entrava na luta desanimada. 

Peguei a panela e voltei meu olhar para a mancha, mas cadê ela?? Virei à panela para todos os lados e nada... Nenhum sinal. Olhei novamente no armário, podia ser que eu tivesse pegado a panela errada, mas não, estava com a panela correta. Enorme foi a minha surpresa e satisfação.

Eu não podia ficar satisfeita sem saber como aconteceu minha vitória.

Voltei meu pensamento para a última vez que a tinha utilizado e lembrei que a mancha estava presente. Consegui lembrar o que tinha feito para limpar a cozinha.

Muitas eram as vasilhas e para acelerar o processo fiz uma seleção das mais fáceis para as mais difíceis. Como o dia estava bem agitado, não tive tempo para muitos pensamentos enquanto executava a limpeza, foi no automático. Me lembro de que passei um produto químico nas vasilhas mais difíceis para que fosse mais fácil tirar a sujeira e só, só isso que fiz antes. Passei por todas as vasilhas e encerrei aquela que seria uma entre várias atividades do meu dia.

E a mancha se foi. No tempo dela, em um processo de espera, sem muitas cobranças.

Utilizando de um dito popular realmente a “Pressa é inimiga da perfeição”. Quantas foram às vezes que gastei energia tentando retirar ela de lá? Queria que fosse ao meu tempo, do meu jeito e com minha força (ahh a vaidade). E não aconteceu como eu esperei.

Quantas são as manchas existentes em nossos corações, em nossos relacionamentos em nossas vidas que tentamos limpar a qualquer custo sem sucesso???

A mancha em minha panela saiu com a ajuda de algum produto químico porque pode aguardar um tempo necessário, não foi mágica.

As manchas em nossos relacionamentos podem ser retiradas com carinho, com orações e belas surpresas.  Existe um tempo para cada coisa debaixo do céu (Eclesiastes 3,1-8). E esse é um tempo de cura, de limpeza, de perdão. A sua expectativa pode não ser correspondida pelo outro no momento que você quer e isso não pode ser problema.

Um pedido de perdão imposto pode causar ainda mais dor. Cobre menos de você e aprenderá a cobrar menos do outro.

É necessário entender que existem exceções à regra e não o contrário. Nossa vida precisa ser leve e firme. Leve nas cobranças e firme na retidão.

Quando tudo parecer ser uma conspiração contra você, respire fundo e cantarole “Peço calma, calma, peço para minh’alma peço Calma” (Calma – Ziza Fernandes).

E assim vamos nós... No aprendizado diário!!!
 

Ler conteúdo completo
Indicados para você