[ editar artigo]

Não se reduza para caber

Não se reduza para caber

“Reduzir para caber” é um velho comando do Word. Quando você tinha muitas páginas pra imprimir e pouco papel - ou queria simplesmente economizar - clicava no botão e o Word fazia o que pudesse ser feito. Diminuía as letras ao mínimo, enxugava todos os espaços em branco, enfim, apertava tudo o que dava para cumprir a missão.⁣⁣
⁣⁣
Acontece que “reduzir para caber” é um comando que a gente se dá muitas vezes na vida. A gente se “mede” por aquilo que tem à nossa volta e se reduz, pra ficar do tamanho que não incomode nem chame a atenção de ninguém. É prático ficar pequeno assim. As pessoas te acham inofensiva, “café com leite”. Você “não dá trabalho”. Você “não incomoda”. As pessoas te olham como um bichinho bonitinho que está ali e “tudo bem”. ⁣⁣
⁣⁣
Os animais fazem isso quando enfrentam uma ameaça maior. Se colocam pequenos e submissos para que o bicho maior não os considere perigosos. É uma estratégia de sobrevivência. Quem nunca escapou de uma briga assim?⁣⁣
⁣⁣
O problema é a gente se acostumar tanto com essa coisa de reduzir para caber que não se lembre mais o nosso próprio tamanho. Quem a gente era. O que a gente gostava. Que sonhos e planos a gente tinha para a nossa vida. A gente vai dizendo “tudo bem”, pensando que “certas coisas não eram pra ser”, que a vida e as circunstâncias não ajudaram a gente. E aí vai no psicólogo, e toma remédio, e deixa de acreditar nas coisas, vai ficando triste e amargo. Até o dia que se olha no espelho e pergunta: quem é você?⁣⁣
⁣⁣
Eu respondo: você é alguém que se reduziu para caber.⁣⁣
⁣⁣
Como é que a gente sai disso? Se expandindo, se alargando. Dando um passinho a mais. Indo um pouquinho além. A coragem é um músculo que precisa ser exercitado.⁣⁣
⁣⁣
Vão te chamar de doido? De folgado? Não vão te reconhecer? Paciência. Ninguém precisa ser igual à ninguém. Cada um tem uma experiência, uma história de vida diferente. A sua vai ser a de alguém que, um dia, pediu mais folhas para a impressora da vida. Simplesmente porque não se reduziu mais para caber.⁣⁣
⁣⁣
#textonalegenda⁣⁣
#reduzirparacaber
#mariahelenaalvim

CPlay
Maria Helena Alvim
Maria Helena Alvim Seguir

Maria Helena Alvim é escritora, redatora e roteirista. Escreve desde 2013 os musicais da Oficina Viva de Ziza Fernandes. Atualmente é professora do curso online "Histórias pra Contar, Storytelling para o Trabalho e a Vida" também da Oficina Viva.

Ler conteúdo completo
Indicados para você