[ editar artigo]

Desinteresse

Desinteresse

Leio e releio essa palavra, procurando tudo o que há dentro dela que diz de mim. Busco qual foi meu último “des-inteiro-ser”, de onde me tirei completamente para nunca mais voltar...⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Eu me lembro. E não me orgulho nada de dizer que levei meu ser pra onde não devia. Permiti deformações em minha alma que levei anos pra me recuperar. Quanto mais disfarçava meu desinteresse com esforço e responsabilidade, mais me traía profundamente e não há coisa que mais torne deformada uma mulher do que a traição... Não é uma deformidade física; é do olhar, daquele que em poucos segundos de observação, lê-se mais medo que ternura, mais angústia que paz, mais “massa corrida” que “cara limpa”...⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Hoje eu tive um dia interessante. Não aconteceu nada demais; pois acredito que onde está o interesse dos meus dias, está a sacralidade do tempo que me rodeia, o motivo de amor que me faz morrer aos poucos e feliz exatamente pelas mesmas coisas; pois não acredito em amor “repentino”. Só acredito em amor provado pelo tempo, temperado nas dores e melhorado nos diálogos. É preciso tempo abraçado à coragem pra saber-se interessado ainda e por muito tempo pela mesma coisa, todos os dias, sempre. É só nesse amor que acredito. O resto? É imaturidade apaixonada: pula de galho em galho, perdendo a poderosa força que nasce em nós quando a alma é disciplinada na fidelidade.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Tenho poucos desinteresses, pois o que tenho são vontades fracas, vencidas pelas mais fortes e, graças ao bom Deus, não padeço de falta de vontades fortes!! Tenho é muito o que melhorar; mas admito: quando o desinteresse me visita, o amor nem conseguiu chegar.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Amor é ato de entrega que não pede pagamento ou troca. É ato maduro e muitas vezes doloroso. É escolha sempre pelo outro, colocando-nos em segundo plano sem jogos infantis ou cobranças amargas e tardias. Tudo o que foge dessa entrega ainda é imaturidade.

No amor não cabe desinteresse. E se há; é ainda um ego tortuoso e servo de si próprio. O melhor remédio ao desinteresse é a pergunta honesta: o que você quer de verdade? E nunca aceite a resposta “não sei”... pois é covardia falseada em desejo de agradar. ⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

O que realmente me interessa é o que me dá sentido pra viver! Não pode esperar nem ficar pra depois de amanhã. Cada interesse se alimenta da fidelidade de seu dia.⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀⠀

É o meu pão. E cada dia Deus me ajuda a me interessar de novo pelo que Ele sempre quis me dar!⠀⠀⠀⠀⠀⠀

Que eu não O rejeite... jamais!

CPlay
Ziza Fernandes
Ziza Fernandes Seguir

Musicoterapeuta, Mestr em Psicologia, Cantora, Compositora, Escritora, Empresária, Diretora Artística e Geral da Oficina Viva Produções

Ler conteúdo completo
Indicados para você